É necessário que o seu navegador tenha o suporte a javascript habilitado para navegar neste site. Mezuzá floral cinza (acrílico) (DJ)
  • 00 item(s) - R$ 0,00
Seu carrinho de compras está vazio.
  • Mezuzá floral cinza (acrílico) (DJ)

Mezuzá floral cinza (acrílico) (DJ)

Sem Pergaminho
Editora: Importado
SKU: 146066
Avaliação geral:

Caixa para pergaminho de acrílico da artista Dorit Judaica, decorada com um design floral cinza. Mede 14x3x 1,5 cm, para pergaminhos de até 12 cm. Não inclui o pergaminho.

R$ 110,00 2x de R$ 55,00 s/ juros no Cartão
Disponibilidade: Imediata

Quem comprou esse produto também comprou:

Pergaminho de mezuzá casher de 10 cm
R$380,00
em até 6x de R$63,33
Mezuzá Jerusalém (acrílico) (DJ)
R$110,00
em até 2x de R$55,00
Talit Super Acrilã com Listras Brancas e Prateadas
R$600,00
em até 6x de R$100,00
Chanukiá romãs vermelhas (DJ)
R$440,00
em até 6x de R$73,33
Mezuzá lisa (Madeira) - Mapa de Israel
R$150,00
em até 3x de R$50,00

Descrição

Caixa para pergaminho de acrílico da artista Dorit Judaica, decorada com um design floral cinza. Mede 14x3x 1,5 cm, para pergaminhos de até 12 cm. 

Não inclui o pergaminho.

 

*  *  *

Mezuzá

Assim como a marca da Torá está impressa na roupa, também existe uma marca no lar, a Mezuzá. Literalmente, trata-se de um trecho da Torá colocado sobre o batente da porta para servir como um sinal para os residentes e seus visitantes. Ela transforma o movimento rotineiro e prosaico de entrar e sair de casa em um encontro com Deus e com o judaísmo. Não é de se admirar que os judeus sejam chamados de "viciados em Deus". Os judeus planejaram para que Deus e Sua Torá fossem lembrados em todos os lugares e durante toda a sua existência.

Os judeus afixam-na nos batentes das suas casas, quartos, escritórios e salões de jogos. A Mezuzá é uma pequena caixa contendo trechos da Torá inscritos à mão num pergaminho. Mezuzá, na verdade, é a palavra he­braica para batente da porta. É o sinal de que uma família judia está mo­ran­do naquela casa ou apartamento. A palavra Shadai (um acróstico pa­ra Deus, "O Guardião dos portões de Israel") está inscrita na caixa da Mezuzá.

Mezuzá é colocada a dois terços da altura total do batente da porta, do lado direito e, inclinada com o topo apontando para o interior da casa ou quarto. A caixa sem o pergaminho é inútil. Um pergaminho feito à máquina também não é válido. E o uso de uma Mezuzá pequena como pingente em um colar, em volta do pescoço, também não tem valor religioso. É costume dos jovens americanos, provavelmente para se identificarem e, até certo ponto, na medida em que mostra orgulho de seu judaísmo, é válido. Um pergaminho Casher enrolado em uma fita transparente é aceitável; a caixa ou invólucro só serve para proteger o pergaminho. A caixa, por si só, nada significa.

Extraído do livro BEM-VINDO AO JUDAÍSMO, de Maurice Lamm.

*  *  *

Por que se colocam mezuzót (o singular é mezuzá) nos batentes das portas dos lares judaicos?

mezuzá é um pequeno pergaminho inscrito com versículos da Bíblia. Ela é enrolada, introduzida em um invólucro e presa no batente da porta.

A Bíblia manda que cada lar judaico tenha uma mezuzá colocada no batente de sua porta: "E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas" (Deuteronômio 6:9). Sua finalidade é dupla: servir como um lembrete das leis de Deus e servir como símbolo da lealdade do judeu para com o povo judeu.

O historiador judeu Flavio Josefo, que viveu em Israel no século I, escreveu na sua obra Antiguidades dos Judeus: "Os maiores benefícios de Deus devem ser escritos nas portas... para que sua benevolente providência seja conhecida em toda parte." E o Rabi Moisés ben Maimon (Maimônides), o destacado filósofo do século XII, escreveu na sua famosa obra Iad Hachazacá: "Pelo mandamento da mezuzá, o homem é lembrado da Unidade de Deus e é incitado a amá-Lo..."

Por que o pergaminho e o seu invólucro são frequentemente chamados de mezuzá?

Mezuzá significa, de fato, batente da porta. O pergaminho e o receptáculo em que ele é colocado se tornaram tão intimamente associados com o batente da porta que ambos ficaram conhecidos com o mesmo nome.

Extraído do LIVRO JUDAICO DOS PORQUÊS, de Alfred J. Kolatch.

Trechos

DO LIVRO
JUDAÍSMO PARA O SÉCULO 21


MEZUZÁ


E as escreverás nos umbrais [Mezuzót] de tua casa e nas tuas portas.
Deuteronômio 6:9;11:21

(1) A Mitsvá  

O coração desta Mitsvá é um pequeno pergaminho sobre o qual um escriba escreve cuidadosamente duas passagens da Torá. Este pergaminho é afixado nos batentes da entrada de cada lar judeu e de cada cômodo dentro da casa. Isto se estende ao local de trabalho, loja, garagem e qualquer outro ambiente dedicado a atividades humanas. 
As duas passagens são aquelas que descrevem a Mitsvá da Mezuzá:
1. Shemá: a unicidade de Deus e nosso total comprometimento a Seus propósitos;
2. Vehaiá im Shamôa: o destino de Israel depende de sua lealdade à Torá.
Estas passagens são idênticas às escritas nos pergaminhos colocados dentro dos Tefilín - veja capítulo 55/2. 

(2) A simbologia

Neste caso, ela é bastante clara. Devemos consagrar nossos lares e local de trabalho como lugares onde Deus está sempre presente e Seu plano é seguido.
O Shemá no batente dos lares judeus proclama que aquela casa está repleta do espírito de devoção a Deus e que as novas gerações serão educadas a honrarem a Torá e a cumprirem suas Mitsvót. Quando colocada à entrada do lugar de onde vem nosso sustento, ela declara que o trabalho realizado naquele local e as relações humanas ali estabelecidas estão de acordo com os preceitos e princípios da Torá. 
Vehaiá im Shamôa nos ensina a tomar consciência de que tudo o que existe em nossos lares e local de trabalho provém de Deus e está relacionado com nossos objetivos espirituais. O sucesso não nos virará a cabeça e o infortúnio não nos fará esmorecer. Quaisquer que sejam as circunstâncias, nossa missão prossegue.
A Mezuzá proclama que existe um Templo de Torá onde quer que o povo judeu viva ou trabalhe.

(3) O encontro

Esta Mitsvá assegura que, ao entrarmos ou deixarmos nossos lares, nos encontramos com o Nome de Deus. Isto, por si só, deve nos fazer lembrar do Seu amor e concluir que tudo neste mundo é temporário, exceto o serviço a Deus, que, espiritual, perdura por toda a eternidade.